Saber poupar: dicas e estratégias para aumentar as poupanças

Saber poupar: dicas e estratégias para aumentar as poupanças

Poucos serão os temas tão discutidos hoje em dia como a poupança e o seu grau de importância para a segurança financeira. De facto, a vida (financeira) pode ser imprevisível: para ter alguma independência neste campo procure preservar as suas poupanças, aforrando hoje para poder despender amanhã. E como “grão a grão enche a galinha o papo”, o melhor é começar a poupar de forma sustentada. De preferência, o mais cedo possível.

A importância de poupar

Há uma grande vantagem que todos encontramos em colocar algum dinheiro de parte – de forma regular e planeada – de modo a garantir uma salvaguarda financeira futura: o risco que assumimos é praticamente nulo e o acesso garantido às poupanças é geralmente imediato, não havendo grandes obstáculos neste exercício.

Vintém poupado é (mesmo) vintém ganho. E, por muito que se repita, nunca deixa de ser verdade: é fundamental não só procurar gerir de forma equilibrada o rendimento disponível como também exercitar a poupança, amealhando para futuras emergências, para a reforma ou simplesmente porque quer rentabilizar esse dinheiro e atingir outras metas pessoais.

É uma excelente tática começar por encarar a poupança como a sua primeira despesa do mês. É deste modo que o hábito de poupar se tornará uma rotina e consequentemente uma forma (mais salutar) de estar na vida.

Começar a poupar (com o pé direito)

Todos parecemos dominar facilmente a arte de saber poupar. No entanto, e para começar a poupar de forma sustentada, é essencial que o primeiro passo passe por definir objetivos a médio e longo prazo, bem como os ajustes que são necessários fazer para os alcançar. Só depois de esclarecidas algumas questões é que poderá proceder à aplicação do seu plano de poupança. Comece por listar todas as componentes destas duas etapas:

A. Clarifique os seus objetivos

  • Quais são os seus objetivos para médio e longo prazo e porque são importantes para si?
  • Caso existam conflitos entre esses objetivos, como vai resolvê-los?
  • Qual é o grau de prioritização entre os vários objetivos definidos?
  • De quanto tempo dispõe para os concretizar?
  • Considera que está a dar o melhor uso possível a todo o seu dinheiro?
  • Está realmente disposto a mudar os seus hábitos financeiros?

 

B. Defina um plano objetivo e realista de poupança

  • Proceda a um check-up financeiro e elabore um orçamento.
  • Identifique os seus objetivos e os gastos desnecessários. Reduza os gastos supérfluos.
  • Supere conflitos entre os objetivos e solicitações de consumo.
  • Prepare-se para a mudança de hábitos.
  • Defina metas iniciais curtas e comemore-as.
  • Não se desvie dos seus objetivos.

 

3 dicas para poupar de forma sustentada

 

1. Faça um plano K.O. antidívida e procure planear de antemão

Definir objetivos para o seu orçamento mensal e garantir que os cumpre é muito importante. A falta de organização nas finanças pessoais é uma das principais causas para os gastos excessivos. Feito este planeamento, deve destinar uma parte do seu dinheiro ao aforro – preferencialmente de forma mensal ou semanal. A consistência é a chave para o sucesso.

2. Tenha uma conta destinada à poupança (mas procure rentabilizar o dinheiro)

Para organizar e preservar as poupanças, o melhor será abrir uma conta-poupança especificamente destinada para o efeito ou aplicá-lo num depósito a prazo. Não se esqueça, contudo, que a longo prazo estas alternativas não deverão ser suficientes para repor o valor de compra do capital perdido com a inflação. Informe-se sobre a generalidade das soluções financeiras disponíveis de modo a ter a certeza de qual poderá ser a mais indicada para si.

3. Esquematize um plano de poupança à sua medida

Este exercício vai ajudá-lo a conhecer e quantificar melhor os seus hábitos de consumo, a reconhecer as principais fontes de poupança, a definir objetivos quantificados e calendarizados, a traçar caminhos concretos para poupar mais e a definir formas de multiplicar a sua poupança de acordo com os seus objetivos e tolerância ao risco. 

 

O BiG pode ajudá-lo

Receba a nossa newsletter

Fique a par das últimas novidades do BiG e receba periodicamente os nossos conteúdos.