Gurus do investimento dos últimos 100 anos: parte 1

Gurus do investimento dos últimos 100 anos: parte 1

Há indivíduos que, por se destacarem em determinada área, marcam a história da civilização.  No campo financeiro, especificamente, não faltam exemplos de pessoas inspiradoras para quem procura uma referência no investimento. Olhando para os gurus do investimento dos últimos 100 anos, destacamos, para já, três que determinaram o destino do mercado financeiro atual. Revelamo-los agora.

 

1) John Templeton

  • Nascimento: 1912
  • Morte: 2008
  • Posição: Banqueiro, investidor, gestor de fundos e filantropo nascido na Grã-Bretanha, mas naturalizado americano
  • Património: +1000 milhões de dólares (aquando da sua morte)
  • Perfil: 

Aluno da prestigiada Universidade de Yale, Templeton financiou parcialmente os seus estudos com o dinheiro que ganhava a jogar póquerDurante a Grande Depressão, comprou 100 ações de cada uma das companhias que estavam cotadas na Bolsa de Nova Iorque (NYSE) por menos de 1 dólar cada. 

Quando a economia americana recuperou, vendeu essas mesmas ações e tornou-se um homem rico. Mas o que o tornou milionário foi, na verdade, a utilização de fundos mutualistas globalmente diversificados, em que foi pioneiro.

O seu fundo – Templeton Growth Fund, Ltd.– foi o primeiro, por exemplo, a investir no mercado japonês. Além disso, Templeton criou diversos fundos para setores de negócio específicos, como a indústria química ou a eletrónica.

O investidor atribuía parte do seu sucesso à sua capacidade de se manter disciplinado, com a moral elevada e evitar a ansiedade.

  • Filosofia de investimento:

John Templeton era o típico investidor contracorrente. Procurava “pechinchas”, ou seja, empresas que oferecessem preços baixos e apresentassem boas perspetivas a longo prazo. No fundo, privilegiava ações negligenciadas por outros.

  • Lições de investimento:
    • “Investe onde há o máximo de pessimismo.”
    • “Se queres ter um melhor desempenho do que a multidão, tens de fazer as coisas de modo diferente.”
    • “As quatro palavras mais perigosas no investimento são ‘Desta vez é diferente’.” 
  • Submergir nas suas teorias de investimento:
    Investing The Templeton Way: The Market Beating Strategies of Value Investings Legendary Bargain Hunter
    John Templeton (2007)

 

2) John (Jack) Bogle

  • Nascimento: 1929
  • Posição: Investidor americano, filantropo e fundador do The Vanguard Group
  • Património: 80 milhões de dólares
  • Perfil:

Bogle deu os primeiros passos na área da banca e do investimento com o Wellington Fund, tendo demonstrado um enorme talento na gestão do fundo. À medida que se notabilizava, foi conseguindo alterar a estratégia da firma de concentração do capital apenas num fundo. O novo fundo, então criado, acabaria por se tornar um sucesso e um momento de viragem na sua carreira.

Em 1970 chegou a presidente do Wellington Fund, mas uma decisão errada levou a que fosse despedido e, em 1974, fundou a The Vanguard Company, uma das mais respeitáveis firmas de investimento do mundo.

Dois anos mais tarde, inspirado pelo trabalho de Paul Samuelson, Bogle cria o First Index Investment Trust, o primeiro fundo de índice mutualista disponível para o público em geral, baseado no investimento de baixo custo e que viria a ser considerado, anos mais tarde, pelo próprio Samuelson, uma invenção digna de estar ao lado da roda, do alfabeto ou da imprensa de Gutenberg.

Em 1999, a revista Fortune colocou-o na restrita lista dos quatro gigantes do investimento do século XX. 

  • Filosofia de investimento:

Bogle colocava grande parte da sua atenção em fundos com baixo custo e turnover, que pudessem ser geridos de forma passiva. Além disso, procurava sempre evitar realocar ativos com demasiada frequência, reduzir despesas associadas aos seus investimentos, pensar a longo prazo e evitar que as suas emoções interferissem com a tomada de decisões.

  • Lições de investimento:
    • “Se tiveres dificuldade em imaginar uma perda de 20% no mercado acionista, não deves investir em ações.”
    • “O mercado acionista é 100% economia e 0% emoções.”
    • “Quando a recompensa está no seu pináculo, o risco está próximo.”
  • Submergir nas suas teorias de investimento:
    • Bogle on Mutual Funds: New Perspectives for the Intelligent Investor
      John C. Bogle (1993)
    • John Bogle on Investing: The First 50 Years
      John C. Bogle (2000)
    • The Clash of the Cultures: Investment vs. Speculation
      John C. Bogle (2012)

 

3) Warren Buffett

  • Nascimento: 1930
  • Posição: Magnata americano, investidor, filantropo e CEO da Berkshire Hathaway
  • Património: 84,1 mil milhões de dólares
  • Perfil:

Conhecido como “o oráculo de Omaha” – a sua cidade natal –, Buffett é considerado um dos homens de negócios mais bem-sucedidos à escala mundial e encontra-se na lista das cinco pessoas mais ricas dos Estados Unidos e do mundo.

Concluiu os estudos superiores na Columbia Business School, onde desenvolveu a sua filosofia de investimento em torno do conceito de “estratégia de valor”, cujo pioneiro foi Benjamin Graham. Foi com base nesse conceito que fundou a Buffett Partnership, Ltd., que identificava empresas subvalorizadas, através dos seus fundamentos e livros de balanço, e investia nelas.

Apesar do imenso sucesso da Buffett Partnership, Ltd., que o tornou milionário, Buffett decidiu extinguir a firma em 1969 para se focar na Berkshire Hathaway, uma empresa de confeção têxtil. Ao assumir o controlo da empresa, expandiu a sua ação a outras áreas de negócio: comprou ativos de companhias como o The Washington Post e investiu fortemente em grandes empresas como a Coca-Cola. 

  • Filosofia de investimento:

Eis a forma como Warren Buffett olha para o mundo dos investimentos: existe um pequeno número de negócios incríveis, nos quais vale a pena investir, e um grande número de negócios triviais, que não são rentáveis a longo prazo. Nas raras ocasiões em que é detetável um investimento com elevado valor intrínseco, Buffett aconselha os investidores a serem arrojados e a não olharem para o atual estado da economia ou para previsões do mercado acionista. E o que é, para este magnata, um “negócio incrível”? É aquele que reúne condições como as seguintes:

    • Forte retorno do capital investido sem elevada dívida envolvida;
    • Lucros previsíveis;
    • Forte modelo de franchise;
    • Liberdade para estabelecimento de preços;
    • Não dependência de uma única figura executiva.
  • Lições de investimento:
    • “Não poupes o que sobra depois da despesa. Gasta o que sobra depois da poupança.”
    • “Nunca invistas num negócio que não compreendes.”
    • “Não temos de ser mais inteligentes do que os outros. Temos de ser mais disciplinados.”
    • “Se não estás disposto a deter uma ação durante 10 anos, não percas tempo a detê-la durante 10 minutos.”
    • “Olha para as flutuações de mercado como tuas amigas, em vez de inimigas. Retira lucros da loucura, em vez de participares nela.”
  • Submergir nas suas teorias de investimento:
    • The Essays of Warren Buffett: Lessons for Corporate America
      Warren Buffett (2001)
    • Warren Buffett Wealth: Principles and Practical Methods Used by the World's Greatest Investor
      Robert P. Miles (2004) 
  • Presença nas redes sociais: Twitter

O BiG pode ajudá-lo

Receba a nossa newsletter

Fique a par das últimas novidades do BiG e receba periodicamente os nossos conteúdos.