Como rentabilizar o reembolso do seu IRS?

Como rentabilizar o reembolso do seu IRS?

Faça um breve exercício de futurologia e salte para os seus 66 anos: vê-se com uma pensão suficiente? Tem uma vida financeiramente desafogada? Tendo em conta o atual estado do sistema da Segurança Social, o mais provável é que não.

Por outro lado, se não pensa propriamente em garantir uma boa reforma, mas tem outros objetivos como comprar casa, carro ou viajar pelo mundo, a mesma questão se aplica: terá o dinheiro necessário para cumprir esses sonhos?

Se uma vez mais a resposta não é favorável, não desanime. Há algo simples que pode fazer para ajudar a garantir uma boa “almofada” financeira para o futuro: dar uso ao seu reembolso anual de IRS.

Qualquer que seja a sua etapa de vida e objetivos, o importante é conhecer as melhores opções de rentabilização para o seu dinheiro e escolher a que melhor se adapta ao seu perfil.

 

Quer poupar para uma viagem?

Se a sua viagem de sonho vai muito além das suas possibilidades financeiras atuais, saiba que pode ser possível atingir esse objetivo a médio prazo (e sem ter de prescindir de quaisquer outras férias durante esse período) ao investir a devolução de IRS num ativo diversificado com um mínimo de subscrição baixo como um fundo de investimento, tendo sempre presente que terá de aceitar algum nível de risco para poder colher uma maior rentabilidade.

E se assumir, à partida, que o reembolso de IRS é um extra e não é realmente “seu”, pode estar disposto a assumir mais algum risco e aplicar o dinheiro numa solução sem capital garantido, adequada de 1 a 3 anos, durante a qual pode fazer reforços ou levantamentos, a qualquer altura, sem penalização.

 

Quer poupar para uma casa ou para os estudos dos seus filhos?

Os fundos de investimento acabam também por ser uma opção viável para os objetivos de cariz mais familiar. Seja para comprar uma casa maior para a família que está a aumentar, garantir a mensalidade do colégio dos seus filhos ou proporcionar-lhes uma experiência académica fora de Portugal, tem ao seu dispor vários fundos de investimento com vários níveis de risco. Nem sequer precisa de um valor muito avultado para começar, já que alguns fundos têm mínimos de subscrição que rondam os 100 euros.

 

Quer poupar para quando deixar de trabalhar ou para reformar-se mais cedo?

Antes de mais, para ter uma noção – ainda que estimada – do valor da pensão que poderá vir a receber, tire partido do novo simulador de pensões da Segurança Social. Chegará provavelmente à conclusão de que será necessário assegurar algum tipo de reforço ao montante previsto para a sua reforma, de forma a poder gozar esse período confortavelmente.

Também tem como alternativa utilizar o reembolso do IRS para iniciar o seu complemento à reforma através de um fundo PPR, que lhe permite fazer ajustes ao longo dos anos em termos de perfil de risco, visão de mercado e até mesmo horizonte temporal, sem perder as vantagens fiscais que lhe são inerentes e beneficiando sempre de uma gestão profissional e especializada.

Para escolher o fundo PPR certo para si, existem várias opções de acordo com diferentes perfis de risco.

 

Em resumo...

O segredo para fazer rentabilizar o “excedente” que recebe anualmente através do IRS é identificar o seu objetivo financeiro e horizonte temporal e procurar aconselhar-se junto de profissionais que conhecem bem as várias soluções que tem ao seu dispor. Feito esse diagnóstico com rigor, estará um passo mais próximo de concretizar os seus planos.

O BiG pode ajudá-lo

  • Quer delegar a gestão dos seus ativos aos especialistas do BiG? Explore com detalhe as soluções mais adequadas ao seu perfil.

    Se quer começar a investir, saiba quais os primeiros passos a dar.

    Esclareça connosco todas as suas dúvidas sobre poupança e investimento.

Receba a nossa newsletter

Fique a par das últimas novidades do BiG e receba periodicamente os nossos conteúdos.