7 questões que o seu Consultor de Investimento lhe deve fazer

7 questões que o seu Consultor de Investimento lhe deve fazer

Já sabe que, num primeiro encontro, é fundamental que coloque algumas questões ao seu novo parceiro nos investimentos. Não assuma, contudo, que a comunicação deve partir apenas de si. A reciprocidade no diálogo é essencial para que também o Consultor de Investimento saia suficientemente esclarecido e consiga elaborar uma proposta de investimento totalmente personalizada.

Uma relação financeira produtiva não existe sem reciprocidade e o processo de escolha de um Consultor de Investimento não deve ser encarado como uma rua de apenas um sentido. A verdade é que o investidor não deve ser o único a fazer perguntas. É importante que o seu consultor o conheça com detalhe para que possa apresentar soluções financeiras totalmente adequadas a si.

Na prática, isto significa que o consultor o deve "entrevistar" de modo a compreender as suas necessidades, objetivos, situação financeira e experiência de investimento, a fim de poder apresentar uma proposta de investimento à sua medida.

Todas estas informações são naturalmente confidenciais, por isso não se iniba e leve na ponta da língua as respostas às seguintes perguntas.

As perguntas clássicas que o Consultor de Investimento lhe deve fazer:

  • Qual é o valor que quer investir?
  • Com que horizonte temporal?
  • Qual é o objetivo de retorno do investimento?
  • Qual é a sua tolerância ao risco?

 

E outras questões importantes para enquadrar o melhor possível a proposta de investimento futura que lhe irá preparar:

  • Que peso tem o valor que quer investir no seu património global?
  • Como está alocado o seu património?
  • Pretende que se tenha em conta na proposta a forma como tem o seu património financeiro alocado atualmente?

 

O seu consultor financeiro vai procurar conhecê-lo bem para poder: 

  • Ajudá-lo a priorizar as oportunidades, trabalhando consigo na otimização do seu planeamento financeiro;
  • Fornecer informação de mercados independente e relevante para a sua estratégia financeira enquanto monitoriza o seu desempenho;
  • Trabalhar na alocação dos seus ativos para que consiga a melhor taxa de retorno estimado para a sua tolerância ao risco;
  • Ajudá-lo a consolidar e simplificar os seus investimentos, enquanto constrói soluções personalizadas para si e as revê periodicamente.

 

A reter

A empatia e a confiança são fatores críticos para o sucesso de qualquer relação. Nos investimentos deve também procurar avaliar o grau de empenho e interesse da contraparte, analisando as questões que esta lhe faz. Não se esqueça de que o objetivo do seu consultor passa sempre por salvaguardar os seus interesses financeiros.

 

O BiG pode ajudá-lo

Receba a nossa newsletter

Fique a par das últimas novidades do BiG e receba periodicamente os nossos conteúdos.